Brasil quer dar dinheiro a Portugal



(AFP) “O Brasil pode comprar uma parte da dívida soberana portuguesa para ajudar a economia da antiga potência colonial a superar a grave crise financeira, afirmou a presidente Dilma Rousseff em declarações à imprensa lusitana.

'Estamos estudando a melhor maneira de participar na recuperação da economia portuguesa. Nossas equipes têm um diálogo permanente e fluente sobre esta questão', declarou Dilma Rousseff em uma entrevista ao jornal Diário Econômico.

'Uma das possibilidades é a compra de uma parte da dívida soberana portuguesa', destacou a presidente, que também mencionou a análise de 'outras alternativas', como 'a compra antecipada de títulos brasileiros atualmente nas mãos do governo português'.

Dilma Rousseff já havia destacado na terça-feira que o Brasil faria todo o possível para ajudar Portugal, mas também lembrou que no país existem 'regras muito rígidas sobre a utilização das reservas'.

A presidente do Brasil disse ainda que, até o momento, Portugal não apresentou nenhum pedido formal de ajuda.

Portugal é considerado o próximo candidato a uma ajuda financeira internacional similar à já recebida por Grécia e Irlanda, outros dois membros da Eurozona”.


      Portugal foi nosso colonizador, sugou do Brasil, por séculos, uma fortuna incalculável em minérios preciosos, madeira, mão-de-obra etc., nunca nos deu nada em troca, inclusive tivemos que pagar por nossa independência, e agora vamos comprar a dívida portuguesa?!

     E que dizer a reciprocidade entre Portugal e Brasil que só vale do lado de cá?! Quantos casos de brasileiros deportados sem justificativas são noticiados diariamente? E que dizer das humilhações sofridas nos aeroportos lusitanos? O governo português não faz quase nada a respeito disso. 

     A economia brasileira não vai lá tão bem assim para sair por aí distribuindo ajuda internacional. Mas se querem fazer caridade, pelo menos dê uma mãozinha para os povos africanos, nossos irmãos de sangue e que muito padecem em grande pobreza.

Nenhum comentário: