A professora que é minha heroína


     Foi grande o sucesso da professora do Rio Grande do Norte (RN) Amanda Gurgel, que se tornou uma espécie de heroína da educação brasileira, na luta por melhores salários, nas redes sociais. Seu vídeo postado no You Tube, no qual ela enfrenta o Deputados Estaduais do RN, tem já milhares de acessos e é a notícia do momento.

     Não é preciso ir ao RN para constatar se é verídico o que diz a professora-heroína. Basta uma voltinha na rede pública de qualquer cidade do país. Há bons exemplos, sem dúvida, mas a “competente” incompetência impera sem pudores.

     Meus avós estudaram apenas o básico, pois não havia escola mais avançada na época deles. E no entanto sabem língua portuguesa e matemática capaz de me deixar no chinelo. Nos dias atuais, com o absurdo de se exigir duzentos dias letivos por ano, os alunos ficam prisioneiros da escola, mas não têm o rendimento esperado. Essa carência educacional fará falta do futuro, quando tiverem de enfrentar um cada vez mais competitivo mercado de trabalho.

     Ninguém mais pode reprovar aluno em escola pública brasileira. Tem que dar um jeitinho de o preguiçoso avançar, de qualquer maneira, sob pena de auditoria na escola. Então empurra para frente, ele que se avenha lá no futuro.

     Nosso Ministério da Educação é um exemplo de lastimável ineficiência administrativa. Basta analisar a incompetência de aplicar um simples exame de Enem, ou a polêmica do vídeo de apologia a práticas homossexuais, que desejam impor aos brasileiros.

     Isso tudo nos leva a pensar – a quem interessa um povo sem instrução? Ou o contrário. Quem tem interesse numa população instruída demais? Desde que mundo é mundo, quanto menos estudar o povo, maior a facilidade em dominá-lo. Por isso que a enxurrada de discursos em prol do ensino brasileiro, na verdade, não vai a lugar nenhum. E esse é o motivo de Amanda Gurgel ser minha heroína. Ela não conseguirá mudar o mundo, pois vivemos num sistema bem enraizado, mais poderá ser a primeira pedra no sapato.

by Adriano César Curado

2 comentários:

Everlyn Mascarenhas disse...

Escritor Adriano César Curado, você tem muita razão. Todo governo fraco se sustenta assim mesmo, mantendo o povo na miséria, tanto física quanto mental. Enquanto este País não tomar as rédeas do próprio destino, jamais haverá a valorização dos professores. Parabéns pela postagem.

Palmira da Cunha Lima disse...

A educação neste país nunca foi prioridade dos governantes,porque querem um povo emburrecido e assim eles controlam todo mundo mais facilmente.