A confeitaria



      Se lhes mostro meu lado mais vulnerável, vocês querem se apossar de mim. Se deixo vocês entreverem meu instante de bravo, recuam como se nada tivessem com isso. Mas é assim que conseguimos balancear esta relação eterna que nos afasta e une todas as horas de todos os dias de minha vida. E assim eu sigo cá com meu pacote de sonhos recheados com aguardadas doçuras. Eu os cato por aí, nas entrelinhas da vida, nas esquinas dos revezes, nas horas tardias de plena poesia. 

      Meu objetivo é juntar tanto sonho, mas tanto sonho, que um dia eu possa montar minha própria confeitaria, daquela com vitrines iluminadas por múltiplas cores e prateleiras abarrotadas de desejos satisfeitos. E no dia da inauguração, vou convidar todos as minhas amigas e amigos para se fartarem comigo nesta aventura lambuzada de confeitos açucarados, granulados e adoçados por gotinhas da luz do amor.

 

by Adriano César Curado



5 comentários:

Alê disse...

Lindo esse trecho

Francielle Lima Guerra disse...

Linda a postagem, poeta, um trampolim para nossa alma alcançar o mais alto do céu! E que céu!!! Parabéns.

Borboletas no Estômago disse...

sobre se apossar das pessoas
acho que é assim que as coisas funcionam

MARILENE disse...

Os sonhos colecionados possibilitarão, realmente, o fim almejado. Cada um deles tem um sabor distinto, a contribuir para a sensação final.
Lindo texto.

Bjs.

Viviane Peres disse...

Que reflexão doce esta, literalmente!rs Gostei muito.
Venho agradecer também pela visita ao blog e pelo apoio. Agradeço de coração seu incentivo.
abração, ótima semana pra ti!