A infância



Tempinho bom
o da doce infância,
quando a gente
só se preocupava
com o que não
era preocupante
e os dias passavam
com sabores adocicados.

Corre o tempo
e a infância escoa
sorrateira da alma,
é preciso ir adiante,
cultivar outros sonhos,
sorrir bisonho
em terras bem
mais distantes.

Mas aquela peralta criança,
que olhava as estrelas
e sonhava galgá-las,
que ambicionava nuvens
para poder cavalgá-las,
essa nunca morrerá,
será estrela no céu
enquanto ainda houver
vida a ser sonhada
e sonho a ser vivido.



 by Adriano César Curado

3 comentários:

Aninha Zocchio disse...

Olá Adriano, tudo bem??
Pois bem, felizes aqueles que ainda trazem consigo a fé que as crianças têm, a coragem que os levam adiante e a inocência de acreditar que elas podem tocar as estrelas...
Abraços!! Lindo seu poema!!

allmylife disse...

Muito lindo seu poema..escrever sobre a infância é mto bom!!

Já te sigo..obrigada pela visita lá no blog =D

Natalia Campos disse...

Que lindo. Preserve sempre a criança dentro de você. Isso é muito valioso e admiro muito isso em alguém. Sua poesia é um encanto, meu querido.

Beijos. Au revoir :)