O homem gentil



      Ele era o último funcionário do frigorífico a deixar a empresa. Certo dia, ao checar a câmara frigorífica, pouco antes de encerrar o expediente, cometeu um erro fatal ao deixar de escorar a porta. Preso dentro da câmara, esmurrou com força a grossa lâmina metálica, gritou inutilmente por socorro. Era um ato de desespero seu, pois sabia que ninguém o ouviria. Ali ficou por horas, consciente, na certeza de que, quando o primeiro funcionário aparecesse, lá pelas sete horas do dia seguinte, ele estaria morto.

Mas de repente a porta se abriu. Era o vigia noturno da empresa e o resgatou ainda com vida. Mais tarde, perguntaram ao tal vigia por que ele foi abrir a porta da câmara, se isto não fazia parte do seu trabalho. Ele explicou:

– Trabalho nesta empresa há 35 anos. Quando chego para o expediente noturno, centenas de empregados passam por mim, mas ele é o único que me cumprimenta. Como ele não se despediu hoje, fiquei preocupado e fui procurá-lo.


Adriano César Curado

9 comentários:

Alê disse...

Essa história é fantástica,


Gentilezas... fazem falta...



Bjkas

Severa Cabral(escritora) disse...

Meu querido Adriano!
Essa é uma das histórias mais reflexiva que corroe minha mente...entre tantas desbravuras que faço,é pensando nisso,que um dia alguém vai fazer por mim,o que eu não puder...
Vou deixar aqui um ex:As pessoas só comentam no teu blog se vc for neles,se não for entra logo no esquecimento,estou certa ou errada?
Bjsssssssssssssssss

Vitalina de Assis disse...

Hola amigo!

Que bom seria se nossa ausência fossse notada em toda e qualquer situação, mas há de concordar que para que isto se torne um fato, precisamos semear nossa presença.

Um gesto tão simples como saudar as pessoas ao cruzar por elas, já faria uma diferença substancial. Pena ser este um hábito em decadência nos nossos dias, nossa pressa constante nos afasta do próximo e até mesmo de quem amamos.

No seu texto um gesto de educação gerou um gesto ainda maior, salvou uma vida. Muito providencial em nossos dias, ouvirmos isto.

Já tenho por hábito comprimentar até quem não conheço, depois desta leitura, farei com uma atitude mais diferenciada, vai que... rs

Bjs. E obrigada por passar no meu blog.

Janaina Cruz disse...

Gentileza pode salvar vidas!!! É Adriano, algumas pessoas acostumam-se com o silenciar perante os seus semelhantes, deixam-se de desejar o bem, ou desejar que o dia do outro seja proveitoso, e assustam-se se alguém ainda diz: Por favor, obrigada, com licença...

Sheila - Blog "Passarinhos no Telhado" disse...

Que legal! Adorei a história!
um abraço meu amigo! E boa semana!

Fabiano disse...

Sua postagem é demais. Meus parabéns.

Carol Fernandes disse...

Gentileza não faz mal a ninguém e ainda por cima dá pontinhos para a gente lá em cima.

Linda a sua postage, meu querido.

Beijinhos.

Vanessa disse...

Não se perde nada sendo gentil com as pessoas. Sua história bem nos conta isso.

Mas o ser humano está apressado demais para se preocupar com o próximo.

Adorei.

Bjkinha.

Palavras disse...

Oi Adriano,

conheço uma história muito parecida com esta, quiçá não seja a mesma!

Narraste muito bem!

Abraços