Viagem no tempo

Imagem: http://cgretalhos.blogspot.com/2010/06/tropeiros-da-borborema-traducao-precisa.html


      Tem tanta história brasileira desconhecida...!

     Domingo passado, naquela visita mensal que faço a asilo de idosos, conversei com um tropeiro. Para quem não sabe, tropeiro era um negociante, dono de uma tropa de mulas de carga. Tem 105 anos de idade e muita lucidez.

      Contou-me ele que tinha um lote de onze mulas usadas para transportar mercadoria entre a cidade de São Paulo e o Estado de Goiás. Não havia estradas, nem pontes, e muitos pousos se davam ao relento, sem sequer um rancho de palha como abrigo.

      A carga ia acondicionada dentro de uns caixotes de couro cru chamados bruacas. Em cada mula, duas bruacas, uma de cada lado, equilibradas numa cela em formato de X chamada cangalha. Disse-me ele que fazia também as vezes do correio, pois levava notícias e recados pelos lugares onde passava. E enfrentava rios cheios, ataques de bandidos, de feras, de doenças misteriosas. No misticismo lá dele, trazia junto ao peito para proteção um patuá (pequenina bolsa de pano costurada com uma oração dentro), dependurado num cordão.

      Já pensou na riqueza cultural de uma conversa dessas?! Senti-me como que transportado para o início do século XX, num tempo em que não havia conforto nem facilidades modernas, mas ainda assim vivia-se bem.

      Acho que sou um privilegiado por ter tempo para essas extravagâncias gostosas. De qualquer forma, melhor visitar esses senhores adoráveis que ficar em casa e assistir programas de auditório na televisão! Alguém discorda?


Adriano César Curado

14 comentários:

Lara Mendes disse...

Você é um privilegiado porque tem o controle sobre o seu tempo e o usa para espalhar o bem por aí.

Por isso que suas postagens são mágicas e seu blog tão querido.

Beijos.

Lilian disse...

Que linda aula de história!

E que belo exemplo o seu, de sacrificar um domingo para visitar os mais necessitados.

Beijinhos queridos.

Aninha disse...

Que doce viagem no tempo, através da mente de alguém tão especial.

Você é surpreendente.

Beijos...

Severa Cabral(escritora) disse...

Boa noite meu querido amigo!
Sabia que a sua história casa com a minha,kkkk,domingo passado tbm estive num asilo para visitação.Tenho uma tia que vive lá.Então sempre vou levar um pouco do meu sorriso para aqueles velhinhos...e o bom é que me troco com eles em conversas,pois adoro histórias de vida que os mais velhos tem para nos contar.Volto tão abastecida que é motivo para continuar sorrindo sempre.Eles me adoram e eu fico toda feliz pelos abraços e os beijos que recebo.Desejo que na sua próxima visitação tenha força dentro de vc para abraça-los e afagá-los e verás como é gostoso quando saimos de lá.E lembre-se de mim tbm,pois estarei por perto.
Bjs para aquecer tua noite!

Fernanda disse...

O ato de doação aos necessitados é um dom que devemos cultivar lá dentro do coração.

Você é especial porque se dedica a fazer os outros felizes, enquanto a maioria de nós está dormindo até tarde ou se recuperando da balada de sábado.

Beijitos.

Fabi disse...

O que mais me entristece é saber que a vida passa rápido e não demora para que a gente esteja lá naquele asilo, sentados à espera duma visita como a sua. Beijos.

Carla Alencastro disse...

Essa sua postagem é uma obra de literatura, portal que faz a gente embarcar para outros tempos.

Meus parabéns e um beijo.

Fernanda Soares disse...

Na verdade, foram os velhinhos que ajudaram vc a ser mais feliz.

Beijos.

Rosa Mattos disse...

Parabéns por dedicar alguns momentos de seu tempo a outros, escutando suas histórias e compartilhando vivências.

Muito rico esse seu espaço. Gostei daqui/!

Um lindo dia pra você.♫


http://contosdarosa.blogspot.com

Carol Fernandes disse...

Não há fronteiras para a caridade. Fazer o bem é sempre bom.


Bjos;(>)

Severa Cabral(escritora) disse...

Hoje vim trazer um convite especial.
vá no meu cantinho comungar comigo da minha vitória da qual vc tbm faz parte.
bjssssssssssss

Amor no singular disse...

Nossa! Linda história, riquezas que cada um guarda em sua memória. Ah... e realmente é mto melhor visitas ao asilo ou onde quer que te dê prazer do que ficar entendiado em frente a TV, com certeza. rs
Beijos,
Taís Krugmann
amornosingular.blogspot.com

Marli Carmen disse...

Parabéns pelo texto, amei!! Bjs

Vanderleia disse...

A vida em harmonia é linda!