Cachaça do Altino

Cachaça do Altino





Final de semana é muito bom, e fica melhor ainda quando surge um programa diferenciado. Fomos a Corumbá de Goiás conhecer o alambique do Senhor Altino, que fabrica a melhor cachaça da região. Seu produto provêm da cana-de-açúcar e da jabuticaba, e é muito saboroso. Desce macia, não sapeca a goela. Traiçoeira!



Ele tem 95 anos de idade, está bem lúcido e ainda ativo, pois supervisiona toda a produção da bebida, desde a plantação da cana até a destilação. Gosta de contar histórias antigas mas também é atualizado.

Mora em um casarão de grossos esteios de aroeira e adobe, e conta:


Meu avô construiu esta casa. E para você ter uma noção da idade dela, eu não conheci meu avô”. Depois completa: “Eu tenho orgulho de dizer que durmo no mesmo quarto onde nasci.”


Para chegar lá não é fácil, melhor ir com alguém que conheça o trajeto. Tem um cachorrão para recepcionar os recém-chegados e outro, bem menor e desavergonhado, que abre as pernas sem cerimônia alguma.


"Seu Altino, esse cachorrão aí morde a gente?" – pergunto preocupado.

"Claro que morde, ele tem dentes!" – responde com uma risadinha divertida enquanto prende sua fera.


Assim que se chega, ele estuda a gente por um tempo, indaga coisas, como bom matreiro que é. Mas quando lhe contei que sou da vizinha Pirenópolis, seu sorriso se abriu, e muitas histórias antigas foram contadas. Eu filmei, para não perder o costume.


Ainda não tenho sua ampla confiança, algo assim que me permita visitar o alambique. Mas pretendo voltar lá, agora com alguém da cidade, e assim conseguir andar por toda a região.

Adriano Curado